Movimentos

Centrais sindicais avaliam sucesso da greve geral e mantêm mobilização

As centrais sindicais brasileiras (CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, CSB, CGTB, UGT, Intersindical Central, Intersindical e Conlutas) divulgaram na tarde desta segunda-feira (17) uma nota conjunta em que avaliam como “muito positiva” a greve geral realizada na última sexta-feira (14) e atribuem o sucesso da mobilização à unidade de ação do movimento sindical e dos movimentos sociais.

whatsapp_image_2019-06-17_at_08.44.36132584

Leia a íntegra:

As Centrais Sindicais, reunidas nesta segunda-feira, 17/06, avaliaram como muito positiva a greve nacional realizada em 14 de junho, que promoveu paralisações em centenas de cidades e em milhares de locais de trabalho, além de atos e passeatas contra o fim da aposentadoria, os cortes na educação e por mais empregos. O sucesso da mobilização é resultado da unidade de ação do movimento sindical, construída ao longo do tempo e renovada nas deliberações das assembleias em locais de trabalho, em plenárias por categoria e intercategorias; e da articulação com os movimentos sociais, populares, estudantil e religiosos.

Essa greve, que atingiu 45 milhões de trabalhadores em todo o país, é um movimento que terá continuidade, com a ampliação da unidade de mobilização.

Nosso próximo passo será, em breve, entregar aos presidentes da Câmara e do Senado abaixo-assinado contra a proposta de reforma da Previdência do governo, com centenas de milhares de assinaturas coletadas em todo o país.

Nossa prioridade será a definição e construção, em reunião marcada para 24 de junho, das ações para ampliar a mobilização e a pressão contra a retirada dos direitos da Previdência e da Seguridade Social.

Agradecemos o compromisso de dirigentes, ativistas e militantes, o envolvimento dos movimentos sociais e a cobertura de toda a mídia. De outro lado, repudiamos as iniciativas de práticas antisindicais que visaram criminalizar a força e a luta dos trabalhadores.

Na unidade, construímos nossa capacidade de luta, que será contínua durante toda a tramitação da PEC no Congresso Nacional.

SINDMETAL deu sua contribuição para a Greve Geral

2

Ao longo dos meses, abril e maio, o Sindmetal esteve nas portas das fabricas conclamando os trabalhadores para a adesão à Greve Geral. Alertamos ainda para as diversas formas com que a categoria, seus familiares amigos e vizinhos poderiam contribuir neste dia.

  • Assinando o abaixo Assinado contra a Reforma a ser enviado aos Deputados
  • Paralisando seu local de trabalho, parcialmente ou totalmente no dia 14
  • Juntando os amigos em Praça Publica para protestar
  • Protestando em sua escola
  • Ou encontre uma forma criativa para dizer NÃO A REFORMA

A Diretoria se mobilizou já de madrugada e encontrou-se na portaria da CASP, em Amparo, lá uma foi realizada assembleia denunciando as maldades contidas na Reforma e os efeitos que teriam, caso aprovada. Encerrada a Assembleia foram em carreata até a cidade de Campinas, onde um grande Ato Público, com a participação de sindicalistas, trabalhadores, populares e estudantes, manifestaram disposição de continuar a luta em defesa da Previdência Social solidária e que atenda aos interesses dos trabalhadores.

Assista o vídeo;

Portal CTB com informações da Assecom – SindMetal / Joaquim Amorim

Comentários