Geral

Crise: 1,2 milhão de brasileiros deixam de utilizar o gás de cozinha

crise-altadogasdecozinha-ctbnalutapordireitos

A volta do fogareiro a carvão e do fogão a lenha, devido à nova política de reajuste da Petrobras maltrata e coloca em risco as famílias que não podem mais pagar pelo gás de cozinha. Dados do IBGE publicados em abril mostram que a utilização do carvão ou lenha em substituição ao gás subiu de 16,1% para 17,6%.

Segundo o levantamento, mais 1,2 milhão de brasileiros deixaram de utilizar o gás de cozinha em 2017 e o percentual maior se encontra na região Nordeste. Ali, mais de 400 mil lares deixaram de fazer uso do gás de cozinha. O índice de uso destes combustíveis para cozinhar passou de 22,1% para 24,1% dos domicílios nordestinos. No ano passado, o gás de cozinha subiu 16%, mais de cinco vezes acima da inflação oficial.

Maior alta desde 2002

O preço do botijão de gás teve em 2017 a maior alta desde 2002. De acordo com os dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio do botijão de gás em dezembro de 2017 chegou a R$ 66,53, alta de 16,39%, mais de cinco vezes da inflação oficial.

Aumento maior do que esse, só em 2002 (34%). Naquele ano, assim como em 2017, a Petrobras inaugurou uma política de acompanhamento mais próximo das cotações internacionais dos combustíveis.

Portal CTB – Com informações das agências

Comentários