NOSSA CENTRAL

CTB cobra incentivos do governo à indústria nacional

A CTB (Central Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) e a FITMETAL (Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil) juntas pelo desenvolvimento da nação. Ambas as entidades a qual o SindMetal é filiado,  lançaram, em 7 de julho, uma campanha em defesa da indústria nacional e do emprego. Nesta entrevista, Adílson Araújo, presidente da CTB, explica os objetivos da iniciativa.

adilsonaraujo_ctb_defesadaclt97884

1) Por que uma campanha em defesa da indústria brasileira?

R: O que vemos hoje é o caos. O governo Temer reduz a política de conteúdo local, corta investimento na Petrobras e ameaça a indústria nacional. Nosso objetivo é unir todos os esforços para recuperar a indústria. Temos de retomar o crescimento econômico, com geração de emprego e renda. Já tivemos crescimento em outros momentos, mas isso não garantiu salário digno e qualidade de vida. Precisamos, então, articular essecrescimento a um projeto nacional de desenvolvimento que valorize o trabalhador.

 

2) Qual é o caminho?

R: O governo deve retomar a política de conteúdo local, financiar a indústria, apoiar a construção de máquinas e equipamentos. Nenhuma nação cresce e se desenvolve sem estimular as forças produtivas. Com investimentos públicos, é possível potencializar os investimentos privados. A partir dessa visão ampla, vamos dialogar com o setor produtivo, buscar entendimentos e garantir uma atenção especial à indústria.

 

3) Qual é o papel dos metalúrgicos na campanha?

R: É na crise que as empresas aproveitam para se reestruturar – ou seja, reduzir o custo da mão de obra, elevar a produtividade e ganhar fôlego. O setor automotivo, por exemplo, dá sinais de recuperação, com ganhos extraordinários – mas ainda impõe aos trabalhadores férias coletivas, layoff e planos de demissões voluntárias. Ao movimento sindical, cabe resistir. A categoria metalúrgica – que já tem vida ativa na CTB – cumpre um papel fundamental nessa campanha. Vamos trabalhar em harmonia com as entidades para encontrar saídas.

Fonte: FITMETAL

Comentários