CAMPANHA SALARIAL 2017

Trabalhadores em conjunto com SindMetal encerram Campanha com vitória

_DSC0032

“O ano de 2017 vai entrar para a história do Sindicato como sendo um dos mais difíceis de negociar com os patrões”, afirma José Francisco Salvino – Buiú, presidente da entidade, avaliando a Campanha Salarial 2017.

Conforme ele explica, os grupos patronais não estavam cedendo em nenhum aspecto e todos eles mantiveram o mesmo discurso, usando a crise como argumento para não atender às reivindicações.

“A crise política e econômica criada pelo governo golpista que terminou no afastamento da presidenta Dilma, seguida pela aprovação no congresso da reforma trabalhista agora no início de novembro, deram margem para um embate díficil”.

NENHUM DIREITO A MENOS – Apesar de todas as dificuldades, o objetivo do Sindicato descrito na Pauta de Reivindicações entregue ao patronato, era claro: manter o direito dos trabalhadores, muitos deles suprimidos através da nova legislação trabalhista.

“Mas conseguimos renovar as cláusulas sociais por mais um ano, tempo que teremos para mobilizar o maior número de trabalhadores para continuar mantendo os direitos resguardados”, aponta Buiú com satisfação em obter essa grande conquista.

Além da renovação, o sindicato também garantiu a reposição salarial do período para cada grupo. “Conseguimos tudo isso graças a participação ativa dos nossos trabalhadores e espero que em 2018 essa luta aumente ainda mais”.

COMO FICAM OS SALÁRIOS:

Os sindicatos patronais assinam diferentes Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) conforme o ramo de produção, sendo as empresas abrangidas pelo SindMetal divididas em 5 grupos negociados separadamente com seus representantes patronais na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Desta forma, cada CCT possui suas próprias cláusulas sociais e reajustes específicos. Veja a seguir as conquistas do SindMetal para a Campanha Salarial 2017:

Grupo 3: Componentes para veículos automotores- Forjaria- Parafusos, porcas e rebites.

ABONO SALARIAL: 15% sendo 5% em 12 de dezembro de 2017,  5% em 12 de março de 2018 e 5% em 12 de junho de 2018.

REAJUSTE SALARIAL: 1,8% aplicado sobre o salário de 1º de agosto de 2018.

 

Grupo 2: Eletroeletrônicos,  máquinas e equipamentos mecânicos.

Grupo 10: Equipamentos médicos. As oficinas mecânicas que fazem parte do mesmo grupo ainda estão em pendência.

Grupo 19-3: Estamparia, serralherias, ferramentas e alumínio.

Sindifupi/Sindirepa: Oficinas de funilaria, pintura e reparos mecânicos

ABONO SALARIAL: 15 % sendo 5% em 12 de dezembro de 2017,  5% em 12 de março de 2018 e 5% em 12 de junho de 2018

REAJUSTE SALARIAL: 1,83% aplicado sobre o salário  de 1º de agosto de 2018

*OBS: A empresa que aplicar o  Reajuste Salarial a partir de 1º de novembro de 2017 (retroativo) estará dispensada do pagamento dos referidos abonos. 

Comentários